0


Minhas reflexões – O Resgate da Era Dourada da Atlântida


Saudações da Luz queridas Águias!

Há quatro anos deixei uma mensagem postada no meu perfil, nesta mesma data que hoje, publico um novo artigo sobre as “Minhas reflexões”, onde coloco os pensamentos sobre o nosso destino como raça humana vivendo no plano espiritual da quarta dimensão física.

Estas reflexões que habitualmente são publicadas no meu blog Caminhando com o Mestre, são frutos de muitas meditações, reflexões, análises e principalmente, das observações que se originam do acesso aos registros akáshicos os quais ocasionam um profundo estudo sobre a nossa história remota até os dias atuais.

Estávamos no Ano I da Nova Era e a mensagem que deixei foi esta:

“Saudações da Luz Corações,
Este artigo sobre a Nova Consciência deve ser relido e trabalhado em forma de reflexões internas...



Estamos passando por uma fase dentro da Transição Planetária e o processo que muitos Trabalhadores da Luz estão vivenciando se encaixam dentro do contexto de novas descobertas e experiências... isso tem sido fato nos últimos meses em nossos encontros...

Por isso corações de Luz... devem buscar tudo o que puderem em informações e esclarecimentos... já que o tempo hoje mudou de tal forma que muitos nem se aperceberam que as horas não são mais as mesmas... o tempo acelerou devido ao aumento do patamar vibratório no planeta cujas frequências já vinham sendo alteradas ao longo dos últimos anos.

Os sintomas de sonolência, dormência... dores de cabeça... zumbidos ou sons no interior da cabeça sinalizam estas alternâncias entre a vibração da 3D e a da 4D... dificilmente os Trabalhadores da Luz que já vibram na 4D ou na 5D conseguem permanecer muito tempo neste plano denso e pesado da 3D, por isso a sonolência... e até as dores no corpo que não se justificam...

É hora de mudanças radicais, mas que devem ser feitas de forma serena e equilibrada. E a principal destas transformações é a do aspecto interno, interior, da alma... e acordar mesmo para o desenvolvimento e expansão do sentimento de Amor incondicional, divino... sempre com pensamento focado na irmandade que somos aqui neste planeta...

Este Amor, ainda complicado para mentes adormecidas... é a essência de tudo o que virá de forma arrebatadora sobre o mundo... e causará a maior transformação planetária jamais vista neste Universo... a do resgate e da cura da alma humana e de todas as pessoas que começam a despertar para a sua condição de ser espiritual e divino.

O momento chegou... a hora é agora... alguns vão esperar... mas muitos, farão o trabalho de elevar a raça humana ao seu verdadeiro destino... a nova Era.

Assim aguardamos todos vocês amados Trabalhadores da Luz...


Na Grande Missão da renovação do mundo!

Paz na Terra!

Shima.

(09/04/2013)”


A Nova Realidade Planetária


Desde o período do Carnaval tenho feito um retiro espiritual e aos poucos vou retornando de um recolhimento interno que voluntariamente decidi fazer na semana passada em virtude de profundas mudanças na minha vida pessoal. Isto tem ocorrido com muita frequência nos últimos dois anos, principalmente desde aquela postagem “A despedida de um guerreiro” sobre a minha decisão de atender ao chamado do meu mentor espiritual na época. A partir dali, estaria atuando apenas no plano interno, ou seja, no mundo espiritual.




Lembro-me que três anos antes, em maio de 2012 – “A ascensão de um guerreiro” - havia entrado num processo que tinha alterado profundamente a minha vida e fui instruído para prosseguir numa tarefa, cujo desafio foi algo surpreendente e inimaginável naquele período. Mas quando um peregrino aceita o caminho do discipulado, nada mais deseja do que servir o seu próprio Mestre Interior. E foi o que fiz.




Portanto, se algo tem ocorrido que não tenha realizado meus próprios desejos, foi porque simplesmente a vontade da minha alma tem sido mais profunda e determinada. Um guerreiro não sente dor quando está em batalha e mesmo quando sai ferido ou sagrando, isto não o assusta e nem o faz temer coisa alguma. A única dor que pode carregar é a de causar algum dano naqueles que são seus entes queridos, a quem dedica seu afeto e amor. Nada, além disto, é capaz de fazer uma alma guerreira recuar.

E o meu retiro espiritual tem sido marcado por profundas reflexões sobre a nova realidade planetária. Durante esta Quaresma resolvi embarcar nessa jornada íntima, pessoal e transcendental, aproveitando as energias que vem banhando toda a superfície deste orbe terrestre, onde as vibrações elevadíssimas da 4D e da 5D tem sido intensas, contínuas e reveladoras.

A egrégora espiritual desta Quaresma carrega uma forte extensão religiosa, lembrando uma das épocas que mais marcou a Humanidade, a da Crucificação do Mestre Jesus. E para mim, é uma lembrança amarga, pois fui testemunha desta experiência naquela época, foi uma passagem da minha vida.

Por isto, uma das minhas buscas foi a que me moveu a pesquisar profundamente sobre as histórias das religiões, seitas e filosofias ao longo das civilizações passadas e presentes. Tanto as do Oriente quanto as do Ocidente tem sido alvo de meus estudos pessoais ao longo de meio século.

As maiores descobertas têm vindo do Japão, onde passei quase 16 anos numa peregrinação espiritual desvendando os mistérios ocultos do mundo espiritual. Foi lá também que alcancei o meu despertar da consciência espiritual de uma forma transcendental, e que se tornou o ponto focal das minhas atividades missionárias e minha missão de vida.

Uma das mais significativas descobertas, veio da Ilha de Okinawa, a terra dos meus antepassados, onde cada vila ou região tem a sua Sacerdotisa que é chamada de “Yutá” e é a responsável pela condução espiritual das famílias okinawanas sob a sua responsabilidade.

A minha avó paterna é uma Yutá e mesmo depois de desencarnar em 1978, continuei a manter uma conexão direta com ela. Na minha estadia na Terra do Sol Nascente, ela foi uma das minhas orientadoras espirituais. A minha vivência ao lado dela na minha infância, foi na verdade, uma preparação para uma futura missão espiritual, como ela havia prenunciado quando ainda era um adolescente.

Além do meu conhecimento sobre o significado dos antepassados e sua influência em nossa vida diária, como orientadores, protetores e inspiradores de suas descendências, ao longo de mais de cinco anos passei a estudar o Culto aos Antepassados de uma forma profunda, pois muitos ritos despertavam em mim uma curiosidade além do normal. Pesquisei outras religiões e seitas japonesas, pois muitas delas se expandiram no mundo ocidental com tanta intensidade que me chamava muito a minha atenção.

Também tive uma experiência de grande importância dentro da Igreja Messiânica que passei a conhecer e frequentar em 1977, um ano antes do desencarne da minha avó paterna.

O estudo que muito me agradava era a relacionada ao Xintoísmo, tipicamente japonesa. No Japão, a influência budista divide-se com esta religião oficial e em seus fundamentos, há muito ensinamento do que é conhecido no Xamanismo Ancestral. Tudo isto me levou a expandir as pesquisas até o Ocidente onde procurei estudar as que mais tinham semelhanças com as do Oriente.

Os Oráculos na Grécia, os Rituais Celtas, os Ritos Africanos, as Tradições Ciganas e os Mistérios Egípcios, tornaram-se alvos das minhas buscas incessantes por respostas. E cerca de 40 anos depois reuni um vasto acervo de pesquisas que também envolvem o Hinduísmo, o Cristianismo, o Judaísmo, o Islamismo, o Xamanismo e propriamente o Budismo que muito tem me inspirado nesta jornada espiritual.

Toda essa busca e persistência, propiciou o meu acesso ao Registro Akáshico me levando aos tempos lemurianos e atlantes, de onde surgiram fontes de informações complementares sobre praticamente todas as crenças, lendas e mitos do passado da nossa história humana.

Mas a ajuda e esclarecimento mais profundos vieram do Comandante Ashtar durante nossas Operações de Resgate e Cura durante os anos de 2005 e 2006, quando Ele mesmo me mostrava “in loco” as origens da nossa história espiritual sobre o planeta e as civilizações que por aqui passaram.

Outra grande diferença na minha peregrinação espiritual que fortaleceu minhas convicções foram os estudos sobre os mestres da Grande Fraternidade Branca, da Sociedade Teosófica e do Kardecismo. Ao longo deste tempo também mantive a minha curiosidade e pesquisa paralela sobre o Espiritismo e a Umbanda, que passei a olhar com mais atenção, depois de conhecer com mais profundidade o mundo umbralino.

Os primeiros esclarecimentos sobre o mundo astral denso, que é o mundo umbralino e que anos depois passei a chamar de “Terra II”, veio do mestre japonês que foi um dos meus instrutores no Japão. Ele trouxe as primeiras informações e orientações práticas sobre as Oferendas que eram feitas nos cultos mensais, como eram feitas as doutrinações dos espíritos desencarnados e os resgates.

Foi deste mestre japonês já desencarnado que passei a conhecer diretamente em projeção de consciência o mundo divino, um nível elevado de vida abundante, plena e feliz. Durante vários encontros, passei a receber as instruções e orientações necessárias para o meu aprendizado sobre as atividades espirituais de um Discípulo da Luz.

Por 12 anos ininterruptos de forma consciente em minhas ações junto ao Comando Ashtar nas Operações de Resgate, passei a conhecer mais profundamente os nossos irmãos conhecidos como o Povo de Aruanda. Encontrar com estes Guardiães da Humanidade no mundo umbralino tem sido uma verdadeira Escola da Vida.

Dei a volta ao mundo várias vezes observando a superfície do nosso globo terrestre, mas dificilmente teria a noção do que ocorria sob a crosta e como era de fato o corpo sagrado de Gaia. A surpresa inicial foi a descoberta sobre os abismos, fendas, cavernas, grutas, câmaras, limbos, penhascos... É como está descrito no próprio “inferno de Dante”.

A justiça do inferno debatida no canto 11 está de acordo com a ideia de Aristóteles que relata, na sua obra Ética a Nicômaco: ‘Deve ser observado que há três aspectos das coisas que devem ser evitados nos modos: a malícia, a incontinência e a bestialidade. A alma incontinente tem culpa, mas a culpa é menos grave que o dolo (má-fé), a vontade de pecar. Esta vontade, quando se origina como manifestação da natureza animal é ainda menos grave que aquele pecado que é cometido de forma premeditada, usando a inteligência do ser humano para o mal, mesmo assim, é menos grave um indivíduo planejar e executar um crime contra um desconhecido, que pode se defender do estranho que o ameaça, que ele fazer o mesmo com alguém que confia nele e por isto está indefeso, por isso a traição, é considerada o maior pecado, que recebe a punição máxima no local mais profundo do inferno. A justiça divina retratada no livro é cabal, racional e definitiva, o que torna o inferno dantesco uma espécie de "caos impiedosamente ordenado". (Divina Comédia, Dante Alighieri) – Fonte: Wikipédia.


Romper os paradigmas impostos pelas crenças cristalizadas ao longo de séculos de perseguições, execuções e até as famigeradas fogueiras como as ocorrida durante o período da Inquisição tem sido um dos maiores desafios que aceitei desvendar na minha busca pela Verdade. Encontrar uma resposta tem sido a minha determinação e até a minha teimosia. Fui feliz nesta missão. Uma alma guerreira jamais desiste.

Tudo o que se poderia desvendar ao longo deste meio século de vida, nada mais foi do que a ponta minúscula de um imenso “iceberg”, que me levou a conhecer a essência dos rituais praticados na era dourada da Atlântida. Muitas crenças e lendas das tribos indígenas norte americanas e sul americanas, incluindo a América Central, carregam essa essência atlante. A Civilização Amazônica que existiu há 12 mil anos aqui na América do Sul foi uma das mais lindas experiências da Hierarquia Espiritual.

Foi a mais perfeita civilização da história humana neste planeta e durou cerca de 3 mil anos. Foi uma experiência melhorada da Época de Ouro da Atlântida. Esta civilização que existiu no Planalto Central do Brasil desapareceu durante o fim trágico dos últimos remanescentes da Atlântida. Muitas tribos indígenas da Amazônia são os guardiães dos registros de seus ancestrais que viveram durante este Império da Luz.

Os Templos Sagrados e a vida sacerdotal era um dos alicerces daquela civilização sul americana. Era função dos sacerdotes e das sacerdotisas conduzirem a vida espiritual da sociedade, orientando, conduzindo e dando toda a assistência médica, prevenção de saúde, educação e preparando os jovens para o cumprimento de suas tarefas e missões de vida. Tanto no início da vida, durante a infância, até a velhice as pessoas ficavam sob os cuidados diretos destes templos.

Os rituais do plantio e da colheita eram guiados pelo Templo da Prosperidade. Para cada área do conhecimento humano havia um departamento sacerdotal e um templo específico que dirigia a vida de todos. Consultar os sacerdotes e seguir as orientações das sacerdotisas era parte da conduta diária. Os tratamentos e curas eram feitas através da magia sagrada, das ervas, pedras e da ajuda dos elementais, devas e guias espirituais. A ancestralidade era um fator decisivo na vida futura de cada pessoa, onde suas origens eram respeitadas, praticadas com fé e consagradas como herança divina.

O conhecimento sobre o mundo espiritual relacionava em sua profundidade ao domínio sobre a esfera do outro lado da vida após a morte e de onde se originava a próxima reencarnação. Havia o intercâmbio mútuo de conhecimento entre os dois lados da existência humana. Tudo fluía em perfeita sintonia, harmonia e equilíbrio.

Os estudantes aprendiam a magia sagrada, a geometria, matemática e instruíam sobre a história da Criação. Os jovens escolhiam suas futuras profissões de acordo com suas aptidões naturais e seus dons mediúnicos. Seguir na carreira sacerdotal era mais rígido e o mais desejado pelos pais. Ter um filho ou filha dentro de um dos Templos Sagrados era a mais sublime das virtudes que existia na época. Servir ao Criador era o reconhecimento da divindade inerente a cada ser humano.


As sementes da Nova Religião do Mundo


Os fundamentos que constituirão a religião do futuro já estão plantados e em pleno crescimento. É genuinamente brasileira e foi fundada no início do século passado. Mesmo perseguida, condenada pelas tradições conservadoras enraizadas em mentes cristalizadas da 3D, a nova religião tende a se expandir durante e após os grandes eventos planetários, por ser ter condições de amparar, socorrer e conduzir a raça humana na sua jornada espiritual.

Um dos desenvolvimentos tem sido notável na área da mediunidade, que inclusive se destacam também nas pessoas que optaram pela profissão de Terapeutas Holísticos. Todos são médiuns e poucos são aqueles que aceitam, acreditam e praticam sua mediunidade de forma serena, plena e confiante. Cada um destes trabalhadores da Luz segue o Caminho do Coração, sua Intuição e sua própria Divindade de forma consciente.

São os precursores da Nova Era.

Conforme a Nova Religião vai se firmando ao longo das décadas em decorrência das necessidades da Humanidade, cada Tribo que emergir das Comunidades irá manifestar seus potenciais divinos em conexão com o Reino Espiritual, com a amada Gaia e promovendo o resgate consciencial da nossa ancestralidade com o Ser Divino.

Então, as grandes sacerdotisas e os magos da Luz retornarão para manifestarem suas missões de vida a nível planetário e cósmico. Assim como foi nos tempos da Lemúria, da Atlântida... será a vez desta Quinta Raça precipitar a maestria divina da Hierarquia Espiritual na Terra. Será através dos médiuns conscientes e atuantes no trabalho contínuo da Luz que o potencial da nova raça humana poderá se reintegrar à própria Fonte da Criação.

Então, o Céu se manifestará na Terra.

Um novo mundo se apresenta diante da Humanidade destinada a reinar sobre a sua superfície como herdeiros divinos do Pai Criador e da Mãe Divina.

A Paz será o estado primordial na caminhada humana neste orbe terrestre e a Grande Fraternidade Humana, tornar-se-á uma realidade na Terra.

Assim está escrito.

Em Amor e Luz,
Paz profunda!
Shima.
Namastê.


Gratidão ao Pai e a Mãe!

Postar um comentário

 
Top